03/11/2016

O Conceito da "Nova Economia" e a Evolução do Mercado de Consumo



No final do ano 2000, o mundo assistia atônito às transformações que se desenhavam no cenário dos negócios em quase todos os mercados.

Um novo quadro emergia, balizado pelas profundas mudanças no comportamento do consumidor global, pelas novas relações de poder entre produção e distribuição, pela concentração de negócios e pela velocidade na mudança de cenários.

Muitas dessas dramáticas alterações tiveram origem, direta ou indiretamente, nos avanços proporcionados pela tecnologia.

Mas não só.

Muitas tiveram origem nas mudanças desencadeadas pelo processo evolutivo natural de mercados, consumidores e dos próprios cenários.

Com isso, passou-se da chamada Velha Economia para a Nova Economia e, em apenas cinco anos, começamos a falar da Próxima Economia. A economia do novo milênio.

O que hoje se sabe sobre ela ainda é muito pouco, mas o que está claro é que ela será um produto híbrido potencializado dos fundamentos da Velha Economia, impactado pelas novas bases tecnológicas e de telecomunicação, com transformações que ainda estão ocorrendo em velocidade exponencial.

Na segunda metade da década de 90, termos como Velha Economia e Nova Economia surgiram e tornaram-se jargões.

Tomando emprestadas as definições dadas por Chris Lochltead, CEO da Scient Corporation, a Velha Economia pode ser entendida como o modelo de negócios em que existe lucratividade controlada, crescimento moderado e empresas que se baseiam em ativos físicos. Já na Nova Economia não há preocupação com lucratividade em curto prazo, e as companhias crescem de modo bastante agressivo, adotando modelos puramente virtuais.

A Nova Economia é um estágio de transição para a chamada Próxima Economia, em que todas as empresas passam a atuar na Internet e a diferenciação entre empresas com presença física e puramente virtual perde completamente a razão de ser.

profissional de marketing precisa sempre acompanhar esta evolução.

Novas normas, regras e processos precisam ser aprendidos para atuar nesses novos canais.


A internet em todos os Lugares e Momentos

Na Próxima Economia que o mundo começa a vivenciar, os valores de negócios da Velha Economia, como resultados e rentabilidade, retomam sua importância.

Eles continuam válidos, mas são agora impulsionados pela velocidade e capacidade de acesso à informação características de uma sociedade digital.

A "Internet das coisas" está se tornando um tema cada vez mais crescente de conversação tanto no local de trabalho e quanto fora dele, em blogs de tecnologia e eventos de inovação. É um conceito que não só irá afetar o modo como vivemos, mas também a forma como trabalhamos.

Veja neste post a prova de que a "internet das coisas" está cada vez mais presente em nosso dia a dia.

Mas o que exatamente é a "Internet das coisas" e que impacto é que vai ter sobre você, se houver?

Há uma série de complexidades em torno da "Internet das coisas", mas eu quero manter o básico nesse artigo.

Simplificando, este é o conceito de basicamente conectar qualquer dispositivo à Internet. Isso inclui tudo, desde telefones celulares, máquinas de café, máquinas de lavar, lâmpadas e quase qualquer outra coisa que você pode pensar.

Esses equipamentos terão funções facilitadas e multiplicadas através da internet.

Por exemplo, seu ar-condicionado poderá variar a temperatura baseado no clima da região em que você mora. 

Interessante? 

Então se prepare!


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: