08/11/2016

Não há problemas quando você tem uma cabeça que pensa marketing. Há oportunidades!


Em um mundo de ‘copo cheio e copo vazio’ profissionais de marketing estão aprendendo a cada novo dia que tudo tem um imenso potencial de se transformar em negócio

E isso não é otimismo, é a realidade.

Quer um exemplo? Você está usando internet pra ler esse post. Então, ela foi criada no período da Guerra Fria. Uma ferramenta de guerra. Ou seja, em um problema surgiu isso que você usa pra trabalhar, estudar, se relacionar…

E esse lance de usar os problemas para criar coisas está presente todos os dias da nossa vida. 

Se a gente aprende a aprimorar o nosso olhar para encontrar as oportunidades como profissionais de comunicação, criaremos produtos e serviços incríveis bem ao estilo just in time.

Um case pra trabalhar seria a mobilidade urbana

Já parou pra pensar que a indústria de carros sempre vomita um novo modelo todo ano? 

E que as pessoas, pelo menos aqui no Brasil, são sempre quase que completamente excitadas a comprar um carro novo? E como serão as cidades com tantos veículos?

Foi trabalhando sob essa problemática que empresas como Uber, apps de táxi e apps de pegar bicicletas gratuitas pela cidade, por exemplo, ganharam grande notoriedade - o segredo é ver as tendências, sentir o que o mundo tá precisando

E só tendo problemas pra sacar isso. Então, agradeça! rs

Tem um site (tem um monte na verdade), o Trendwatching, que divulga estudos de tendências para os próximos anosVocê pode acompanhar isso clicando aqui e ler o conteúdo sobre mercado de luxo, por exemplo. 

Ele está em inglês, mas é realmente um super conteúdo pra fazer você ter insights de oportunidades que os problemas atuais têm gerado - ou gerarão porque ninguém pensou sobre ainda.

Claro que encontrar oportunidades está diretamente ligado a sair da zona de conforto. E isso pouquíssima gente está disposta a fazer

Você é um raro serumaninho que se arrisca? O jogo está rolando.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: