19/09/16

O desempenho do e-commerce no Brasil: todos os dados de 2016


A Ebit é uma empresa especializada em coletar e distribuir informações sobre comércio eletrônico no Brasil.

Ela produz seus relatórios com base em convênio com mais de 21 mil lojas virtuais, por meio das quais os consumidores são convidados a realizar pesquisas no momento da compra e na pós-venda

Leitura Recomendada: 5 portais especializados em E-commerce para você salvar!

Desde janeiro de 2000, já coletou mais de 25 milhões de questionários e 300 mil novos são agregados mensalmente.

Recentemente, a Ebit divulgou a 34ª edição do WebShoppers.

O relatório, produzido desde 2001, é uma das principais referências sobre o atual cenário do mercado de e-commerce e colabora na projeção de tendências para os próximos meses.

A nova edição traz números referentes ao primeiro semestre de 2016

Veja a seguir alguns dados que merecem destaque:

VENDAS ONLINE (BENS DE CONSUMO): são R$19,6 bi, o que representa aumento de um bilhão de reais em comparação ao mesmo período do ano passado. Porém, se observados os anos anteriores, podemos perceber que esse aumento é cada vez mais tímido. De 2012 para 2013, ele foi de 31,1%; de 2013 para 2014, 25,9%; de 2014 para 2015, 16%; e, agora, de apenas 5,2%.

EVOLUÇÃO DO TÍQUETE MÉDIO: o tíquete médio mostrou estabilidade no crescimento. Se, de 2011 a 2013, foram três quedas seguidas, o primeiro semestre de 2016 representou agora o terceiro aumento seguido. Houve crescimento de 7% em relação a 2015, sendo que o valor médio gasto pelo consumidor em e-commerce foi de R$403,46.

EVOLUÇÃO DOS E-CONSUMIDORES (ATIVOS): voltou a crescer depois de queda em 2015. São mais de 23 milhões, aumento de 31% no comparativo com o ano passado.

DISPOSITIVOS UTILIZADOS PARA REALIZAR COMPRAS: dispositivos móveis tiveram share de 18,8%, enquanto 81,2% das transações foram realizadas por meio de computador/notebook.

FRETE GRÁTIS: desde julho de 2014, o e-commerce tem diminuído o percentual de frete grátis, principalmente grandes varejistas. Para se ter uma ideia, no primeiro trimestre de 2015, 43% das compras nessa categoria contavam com frete grátis... O número caiu para 19% no mesmo período deste ano.

CATEGORIAS MAIS VENDIDAS (EM FATURAMENTO): eletrodomésticos e telefonia/celulares ocupam o topo neste quesito, sendo 24% e 20% das compras, respectivamente. Na sequência, estão eletrônicos (12%) e informática (10%).

Completam a lista: casa e decoração (7%), moda e acessórios (5%), saúde/cosméticos e perfumaria (5%), livros/assinaturas/apostilas (4%), esporte e lazer (3%) e acessórios automotivos (3%).

IDADE MÉDIA DO CONSUMIDOR: continua sendo 43 anos, devido à entrada de novos consumidores com idade mais reduzida.

REGIÕES: as regiões Sul e Centro-Oeste ganharam maior participação nas vendas do comércio eletrônico, e agora têm 14,5% e 6,6%, respectivamente. Ainda assim, Sudeste continua tendo a maior fatia, com 63,8%. Já o Norte é a que tem a menor, com 2,6%. Nordeste tem 12,5%.

Se quiser ter acesso ao relatório completo com 61 páginas, você pode fazer o download aqui (logo após preencher algumas informações).

E se tem algo a dizer sobre suas experiências recentes com e-commerce, então conte pra gente nos comentários :)

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: