23/10/15

HackAtruck: sala de aula sobre rodas vai ensinar pessoas a desenvolver apps

 

As empresas Apple, IBM e Flextronic, bem como o Instituto Eldorado, acabam de anunciar uma parceria que tem como objetivo capacitar vários jovens brasileiros que desejam se tornar desenvolvedores.

Para tal, elas criaram o projeto HackAtruck, um caminhão cujo container é, na verdade, uma espaçosa sala de aula móvel para os aspirantes a programadores.

O programa tem como objetivo ensinar um total de 500 alunos, ao longo de 10 meses, a utilizarem sistemas de programação para a criação de apps mobile.


Uma vez que estamos falando de uma sala de aula sobre rodas, o Hackatruck vai estar presente em um total de 11 cidades do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil.

Durante as aulas, os instrutores – todos do Instituto Eldorado – vão ter como principal foco o ensino de linguagem SWIFT, o mesmo utilizado nos apps da plataforma iOS.

A ideia, com isso, é despertar nos alunos o gosto em desenvolver programas, em cursos com quatro horas diárias de aula por um período de três semanas para até 28 pessoas.

Segundo Claudio Schlesinger, executivo de Parcerias Educacionais da IBM Brasil, os alunos devem trazer uma ideia de projeto, que será então trabalhado durante esse período:

“os alunos selecionados deverão propor seus próprios projetos, que serão desenvolvidos ao longo do curso. A metodologia usada é do challenger learning process”, explicou ele ao site CBSI.



Tecnologia de ponta

Quanto ao caminhão em si, não há como negar que as empresas fizeram um belo investimento no ambiente de aprendizado da garotada.

Quando no “modo aberto”, a sala de aula de seu container tem nada menos do que 70 metros quadrados e é totalmente equipada com mesas, cadeiras, projetores de realidade virtual e impressoras 3D.

Os computadores e outros dispositivos, por sua vez, são todos da Apple, usando aplicativos da nuvem Softlayer, da IBM.

Não limitando-se à isso, o HackAtruck também oferece oficinas de startups e empreendedorismo.

Para aqueles que não puderem participar presencialmente, ainda é possível conferir várias aulas através de cursos EAD.

Em ambas as versões, serão distribuídos certificados de conclusão para aqueles com um desempenho superior a 70% (e uma frequência superior a 75%, para quem for às aulas presenciais).

“O aluno que não conseguir terminar o projeto durante as três semanas de curso vai poder fazê-lo simulando o app na plataforma da IBM que ficará instalada na universidade”, explicou Schlesinger novamente.


Preparando futuros desenvolvedores



Um dos motivos para o surgimento dessa iniciativa é a falta de um mercado profissional qualificado no país, quando o assunto é o desenvolvimento de apps.

Apesar de existirem muitas vagas no país, poucos são aqueles capazes de preencher as vagas mais altas.

Os números são grandes, de fato, atualmente chegando a uma carência de 40 mil profissionais – e com previsão de chegar a 117 mil.

Assim, para o Schlesinger, o HackAtruck pode ser a oportunidade perfeita de atrair alunos, capacitar entusiastas e direcionar os mais experientes.

“Vivemos hoje a era cognitiva, em que tecnologias proporcionam novos modelos de negócios que já nascem digitais graças à mobilidade, a conectividade e a nuvem. Esses novos profissionais precisam estar ainda mais preparados para trabalhar neste novo cenário que se renova a todo momento”, disse ele.

Já para o superintendente do Instituto Eldorado, o Sr. Jaylton Ferreira, isso é uma chance extremamente importante para os estudantes, indo muito além do aprendizado tecnológico.

“O objetivo dessa ação, além da capacitação profissional proposta, é apresentar aos alunos uma nova abordagem metodológica que os incentiva a resolver problemas de forma estruturada e colaborativa, o que é muito importante para a prática diária do profissional de Tecnologia da Informação.”


Apenas para poucos

Se animou com a proposta?

Então é melhor se apressar, pois como falamos antes, o HackAtruck tem um número de participantes bem limitado.

Se você quiser participar presencialmente: são apenas 28 alunos por turma, em períodos de manhã e tarde, totalizando os 500 estudantes, ao fim da jornada.

Para conseguir participar, os estudantes devem primeiro se inscrever no curso EAD de SWIFT oferecido pelo próprio HackAtruck, para então enviar um vídeo explicando sobre seus motivos para querer participar do curso.

É importante avisar também que as aulas estão limitadas a pessoas de instituições de ensino específicas, embora você não precise necessariamente estar estudando na área de TI.

Caso consiga ingressar nas aulas, não se preocupe com gastos, pois todos os cursos oferecidos são gratuitos.


 Obviamente, também é importante ficar atento aos locais por onde o HackAtruck vai passar – e quando ele vai passar.


Confira a lista com o itinerário já revelado:

2015
- 16/10 a 18/10: Instituto Eldorado;
- 19/10 a 6/11: PUC Campinas;
- 9/11 a 28/11: Mackenzie São Paulo;
- 30/11 a 18/12: FATEC São José dos Campos.

2016
- 18/1: PUC Rio de Janeiro;
- Julho: fim do projeto.


Essas não são as únicas cidades que vão receber o HackAtruck, vale notar.

Embora ainda sem data oficial, a presença do veículo já está garantida em Salvador, Sorocaba, Recife, Fortaleza, Belo Horizonte, Curitiba e Brasília.

Você pode conferir o calendário das aulas e eventos do projeto através do site oficial do HackATruck, é claro.

Vale comentar que, se o projeto for um sucesso ao fim do prazo previsto, o HackAtruck pode expandir seus planos para outras cidades e outras regiões do país até o fim de 2016.


Fonte: Tecmundo
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: