09/09/15

No design, não basta ser bonito. Funcionar é preciso!


Há quem diga que no design, não existe o feio nem o belo. Tudo é arte!

A gente sabe que investir em peças, principalmente, móveis de design, agrega muito valor à decoração.

Eles trazem requinte, sofisticação e beleza para os espaços. Mas, é importante se atentar aos mecanismos dessas peças adquiridas e se, realmente, não é só a forma que é, de fato, bonita.

O design legítimo conforta, aconchega e, mais do que nunca, tem funcionalidade.

Não se deixe enganar pela capa. Por isso, trouxe alguns exemplos de criações incríveis – com um pouco de seus criadores – que além de belas, são super funcionais.

Eu começo então valorizando o que é nosso  o arquiteto e designer Sérgio Rodrigues, conhecido como o pai do design brasileiro, com obras mundialmente conhecidas.

Infelizmente, ele nos deixou em 1 de setembro de 2014. O que fica é uma encantadora trajetoria, um legado riquíssimo e excelentes referencias para os mais novos e futuros designers!


Como a famosa e bem querida pelos profissionais e apreciadores de um bom desenho, a Poltrona Mole, criada em 1957. É feita de madeira nobre, a jacarandá e estofamento em couro.

Vencedora de muitos prêmios, inclusive, está em exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York. É um sucesso de vendas até hoje!


A “chifruda” também faz sucesso nos ambientes e mostras pelo mundo.

A seguir, uma que brilhou no espaço da arquiteta Fabiane Giestas, na Casa Cor ES de 2013:


Outro gênio do design é o dinamarquês Arne Jacobsen (1902 – 1971), arquiteto e decorador, trabalhou com móveis, têxtil e cerâmicas.


Criou a Cadeira Formiga e inúmeras peças.


E também a linda Poltrona Egg:


Mais um arquiteto e designer, autor de peças renomadas, é Charles Rennie Machintosh (1868 – 1928) nascido em Glasgow.


Há registros que dizem que o trabalho que projetou sua carreira, foi a construção da Hill House e logo em seguida os móveis que desenhou para a casa com muita influência Neogótica.


Hill House, 1902.


Cadeira Hill House


E se design é mesmo sinônimo de conforto, vai aí um exemplar do arquiteto e designer italiano Gaetano Pesce, que muito me chama a atenção.


Esse profissional explorou, durante toda a carreira, as mais diversas possibilidades de materiais enquanto desenvolvia suas obras.

A série Up e Cadeira Donna, comprimidas e embaladas a vácuo em PVC, é um mobiliário descrito por Pesce como peças de transformação.


Vale destacar que, neste texto ressaltamos profissionais que fizeram história no design. Eai, gostaram?


Fonte: ArtetDecor
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: