29/08/14

Conheça os irmãos mais famosos no mundo do Grafite


No mundo do grafite, Não existem irmãos mais conhecidos que Otávio e Gustavo Pandolfo – nomeado como Os Gemeos. Eles são paulistanos, nascidos em 1974 no bairro do Cambuci que é, inclusive, o local onde começaram a fazer seus primeiros trabalhos.

A arte da dupla, formada em desenho de comunicação, é muito característica. Os irmãos procuram unir os elementos urbanos, que o grafite representa por si só, com folclore e histórias populares

Tudo isso colorindo grandes painéis pela cidade, que podem ser muros, prédios ou até mesmo trens, carros e aviões (que você pode conferir neste post)

A carreira de Os Gêmeos começou no fim dos anos 80, mais precisamente em 1987, quando grafitavam no Cambuci. 

Nessa época, a dupla assumia a identidade do hip hop, o movimento guiou suas obras por um bom tempo, porém, com a aquisição de mais bagagem, os rumos mudaram e o hip hop praticamente deixou de ser presente em suas obras. 

Mas o fato de não representarem mais o hip hop não significa que a influência do movimento em seus trabalhos tenha acabado. 

As críticas sociais também fazem parte do escopo de temas retratados pelos irmãos e, esse fator, é traço marcante dessa cultura. Gradualmente tornaram-se uma das influências mais importantes na cena paulistana, ajudando a definir um estilo brasileiro de grafite.

Conhecidos por suas grandes intervenções urbanas, suas obras retratam o onírico surgindo em meio ao real: personagens que carregam consigo a dura realidade do cotidiano de uma cidade envoltos numa eterna influência folclórica, como se lendas, sonhos e histórias populares guiassem a vida dos cidadãos em pleno século XXI.


















Suas esculturas, na maioria das vezes muito altas, são à base de material reciclado, como latas, papelões, lascas de madeira e retalhos. Tudo trabalhado de forma tão delicada que um universo de detalhes se abre perante os olhos: a face quase sempre de pele amarela, a posição dos braços e até mesmo as estampas das roupas dos mais variados estilos de seus personagens estão cravados de expressões que dão riqueza inestimável às obras. Esses tipos de traços e a forma como as temáticas são abordadas, fizeram de Otávio e Gustavo referências para o grafite brasileiro e os fizeram serem reconhecidos internacionalmente.

Se hoje a arte de rua é aceita pelos paulistanos, a ponto de ocupar galerias e museus, parte da responsabilidade é deles.

E não só reconhecidos pelo grafite. Em suas exposições pelo mundo afora, é possível encontrar esculturas enormes com a assinatura dos irmãos, e não para por aí. Objetos customizados como instrumentos musicais e carros também fazem parte da gama artística de Os Gêmeos. E não são para desbravar só com os olhos: na maioria das obras, sempre é possível uma interação: pode-se tocar, manusear e, nas peças maiores, como barcos, caixas e túneis.

A arte de Otávio e Gustavo chegou a lugares como Estados Unidos, Chile, Espanha, Portugal e Grécia, exibindo suas criações em algumas das instituições mais prestigiadas do planeta, a exemplo da galeria Tate Modern, em Londres, e do Museu do Louvre, em Paris.

“Grafite se aprende na rua. Nesse sentido, São Paulo foi uma grande escola”, diz Otávio. “Quando vamos para fora, levamos um pouco daqui conosco” completa.


E você, já se deparou com alguma arte d’Os Gemeos hoje?


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: