21/01/13

O papel do design gráfico hoje. Você já pensou nisso?



O mundo está saturado de informações.

Pense, desde a hora em que você acorda até a hora que vai dormir, na quantidade de informação com que você lida. É absurdamente grande.

Em matéria recente da Supermercado Moderno sobre este assunto, Lucas Barcelos, da rede Super Bom, com 11 lojas no estado do Rio de Janeiro, diz que a maioria das newsletter que recebe ele nem lê. “Só passa pelo filtro o que vem de fontes conhecidas e confiáveis”, diz a matéria. Ele ainda afirma que seleciona aquelas que podem impactar diretamente o trabalho, ou seja, as que têm relevância para ele.


Um artigo do Webinsider, de 2003 também aborda o excesso de informações e a “economia da atenção”. O diretor da Accenture, Thomas H. Daveport fala sobre o maior desafio do marketing hoje que é chamar e reter a atenção das pessoas.

A atenção é um valor importante para os negócios, mas como gerenciá-la?

Na prática funciona mais ou menos assim: cresce a cada dia o número de empresas que entram no mercado oferecendo produtos e serviços. Para que se tornem conhecidas precisam anunciar, empurrar informações a respeito delas.

As organizações já existentes também precisam se manter visíveis, caso contrário, serão soterradas com as informações das concorrentes que aparecem todos os dias. Isso faz crescer vertiginosamente o número de informações a que somos expostos todos os dias.

Uma das funções do design gráfico é: comunicar melhor. Simples assim.

E isso é possível porque a matéria-prima do design gráfico são imagens, texturas, recursos visuais diversos.

As imagens transmitem informações em uma velocidade muito grande. E não é pouca informação. Algumas empresas utilizam em seus anúncios uma imagem e o logotipo apenas. Muitas vezes a imagem traduz o conceito, o estilo de vida, a forma de uso do produto ou serviço, os benefícios, só para falar de alguns significados.

Cada vez mais o design tem sido visto como aliado estratégico dos objetivos organizacionais. Uma ferramenta para tornar a comunicação mais rápida, eficiente e atraente, já que considera também o apelo estético, a criatividade e o domínio da linguagem visual – comunicação por imagens.

Em artigo publicado no site da revista Exame, a consultora Mariela Castro indica treze tendências para 2013, relacionadas às redes sociais online. Uma delas diz respeito à crescente utilização de imagens. Diz que o conteúdo nas mídias sociais será cada vez mais visual.

Em um momento onde as pessoas estão sem tempo e são bombardeadas de informação o tempo todo, o negócio é tender a consumir conteúdo mais rápido.

Por isso, sempre planeje ter uma preocupação maior com:

1. O design da comunicação da sua empresa;
2. A relevância do conteúdo que você produz;
3. A quantidade de informação relevante que você “empurra”.

O grande segredo é produzir conteúdo que seja puxado e não empurrado e o design tem esse potencial.

Basta ver o número de blogs e veículos que divulgam produtos, materiais impressos e digitais bem elaborados, com design arrojado, inovador, pensado para facilitar a vida das pessoas.


Pense nisso! ;)

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: