06/10/10

Você sabe o que é Marketing de Guerrilha? Saiba tudo neste artigo completo



Você sabe o que é Marketing de Guerrilha?

O Marketing de Guerrilha trata-se de um tipo de guerra em que o principal objetivo é impor suas ideias, liquidando com seus concorrentes

O termo “guerrilha” teve origem na Guerra do Vietnã (1959-1975), o qual colocou os vietnamitas reconhecidos por serem os estrategistas da guerra, pelo uso de instrumentos de defesa inferiores aos dos Estados Unidos.

Geralmente essas propagandas são feitas na rua, sem muito custo e com alto poder de impactar as pessoas.

Este tipo de marketing surgiu da necessidade de novas técnicas publicitárias na década de 70, devido à diminuição da eficácia das propagandas atuais. 

Porém, seu ápice ocorreu somente nos anos 80, com a publicação do livro de Jay Conrad Levinson, com o objetivo de possibilitar grandes resultados com pequenos investimentos nas organizações.

O autor afirma que é possível desenvolver campanhas e ações publicitárias, criativas e inovadoras, sem investir muito dinheiro

As formas para fazer isso são as mais diversas, desde intervenções nas ruas, colocações de mídia em lugares inusitados, criações de espaços exclusivos para ações, entre outros. Desde então, o Marketing de Guerrilha vem ganhando muita força nas estratégias de propaganda.

A utilização desse artifício pode mostrar que criatividade, planejamento prévio, poucos recursos e ousadia para surpreender podem transformar o simples em algo muito mais eficiente do que o complexo.

Leia também: Como estimular a criatividade?

Empreendedores buscam cada vez mais, técnicas de marketing adaptáveis às características de seu mercado por razões muito simples: concorrência feroz, queda na margem de lucro, globalização, entre outras situações que tiram o sono dos empresários. 

E, neste mercado cada vez mais concorrido, a empresa que estabelece meios de comunicação com seus clientes, melhora sua exposição e imagem, amplia seu mercado e aumenta seu faturamento.

Pode-se dizer que Marketing de Guerrilha é uma ação de comunicação criativa e chamativa de fazer chegar uma mensagem ao consumidor, causando impacto no dia-a-dia das pessoas.

“Comunicar de modo diferente, captando a atenção do público de maneira pouco comum, porém com meios surpreendentemente adequados ao produto ou serviço anunciado” – Dorrian, M. & Lucas (2006) Publicidad de guerrilha: outras formas de comunicar.

Um dos princípios básicos do Marketing de Guerrilha é abandonar as mídias comuns criando novas opções de comunicação. 

A grande busca por mídias alternativas é um sinal de que a propaganda tradicional não está mais conseguindo obter os resultados esperados. 

O que todos sabemos é que os consumidores não conseguem mais captar as mensagens pois o número de informações diárias é muito grande. 

Por todos esses fatores, a propaganda vem se reinventando e os profissionais de marketing também. As empresas buscam resultados e, quando a veiculação em mídias de massa não gera mais este efeito, está na hora de mudar e reinventar para se destacar.

Leia Também: Um profissional de marketing a cada dia melhor: como se superar?

Por essa razão, o Marketing de Guerrilha amplia a comunicação, usando profissionais multidisciplinares, e agências de comunicação, na qual há a integração de vários profissionais como o de relações públicas, jornalistas, sociólogos, e outros.

A “guerra” mais famosa é a de Intervenção Urbana, mas outras como Flash Mob, Viral e Performances também são consideradas Marketing de Guerrilha.



Veja abaixo alguns exemplos de Marketing de Guerrilha de Intervenção Urbana:


Nexcare, empresa que vende curativos tampando o "machucado" na parede.
Ação de uma Agencia de Empregos. Na campanha diz "a vida é muito curta para o emprego errado"
Essa é uma ação da empresa Rejoice, promovendo seu produto que é uma escova de cabelo.

Audi divulgando no cinema a poltrona de couro de seus automóveis
Ação de uma empresa de relógios no suporte de metro. A pessoa ao se segurar no suporte parece que está usando o relógio.


Brinquedos Ravensburger. Divulgação do jogo de quebra-cabeça.


Divulgação do Livro da ex-prostituta Bruna Surfistinha.

Divulgação de tratamento dentário.
Divulgação de corretivo na faixa de pedestres.

Divulgação da academia de ginástica, Fitness Firts, usando medidor de peso no ônibus.

Divulgação da montanha-russa do Parque Hopi Hari.

Divulgação do brinquedo Lego como se fosse uma peça de construção.
 
Divulgação das batatas fritas do Mc Donalds, como faixa de pedestres.

Campanha anti-fumo.


Campanha contra a violência usando a traseira do assento de ônibus.

Campanha contra o aquecimento global.

Divulgação de cerveja, usando a maçaneta.

Divulgação do Chinelo da Havaianas, usado como bóia para praia.

Divulgação do chocolate KitKat.

Divulgação de clínica dentária.

Divulgação de câmera fotográfica de alta resolução, utilizando um dog em "baixa resolução" com muitos pixels, sem nitidez.

Divulgação do filme 2012 (que trata o fim do mundo), em um corredor de metrô.

Divulgação do filme Kill Bill 2, passando dos limites do outdoor.

Divulgação do fio dental, da Glide.

Divulgação do programa de futebol, do canal ESPN, utilizado em banheiro masculino.

Divulgação de cerveja, em ônibus.

Divulgação de marca de colares.
Divulgação do fio dental, da Colgate.


Divulgação de marca de skate, Quicksilver, em uma mini-rampa de skate instalada em um ponto de ônibus.

Divulgação do carro Mini Cooper.

Divulgação da montanha russa do Hopi Hari, em uma escada rolante.

Divulgação da moto da Yamaha, utilizada no apoio de mão de um carrinho de compras.

Campanha anti-fumo, usada em um poste com a placa "pare".
Divulgação de uma rádio de black music em um ponto de ônibus, onde acima do acento tem um cabelo "black".


Divulgação do refrigerante Sprite, impactando as pessoas como ducha de praia.

Divulgação da série Betty a feia, com um pacote tampando a "feiura".

Divulgação do Viagra.


Campanha anti-fumo.

Divulgação do café do Mc Donalds.

Como puderam ver, normalmente as campanhas de Marketing de Guerrilha são inesperadas, não convencionais, potencialmente interativas, onde os consumidores são atingidos pela divulgação em lugares inesperados.

Essa técnica é muito utilizada por pequenas e médias - e ultimamente também por grandes empresas - pois tende a prender a atenção do consumidor, fazendo-o sentir curiosidade sobre a ação que está passando ao seu redor pois é diferente, interessante e curioso.

Outra vantagem que vale destacar do Marketing de Guerrilha é que essa técnica de comunicação pode ser facilmente alastrada pelo buzz, que é algo incontrolável, de boca em boca. Quem viu vai contar aos amigos e conhecidos (como eu) e aqueles que não viram vão ficar curiosos.

Porém não é assim tão fácil. 

A empresa deve ter habilidade de criar uma ação em que as pessoas parem, olhem e se perguntem o que é aquilo que estão vendo. Podendo ser divulgado nas ruas, prédios, parques, estacionamentos, etc.


Táticas importantes que diferencia o Marketing de Guerrilha do Tradicional:

  • Investe energia, tempo, imaginação e informação ao invés de dinheiro;
  • Mede os retornos através de lucros, ao invés de medir através do aumento de vendas; 
  • Baseia-se na psicologia, no comportamento humano, e não através da experiência de julgamentos;
  • Tem o foco na busca por alto padrão de excelência, e não a ampliação de linhas de produtos e serviços;
  • Busca aumentar cada vez mais o número de transações com o mesmo cliente, ao invés de buscar novos clientes;
  • Trabalha em cooperação com outras empresas, ao invés de vê-las como concorrentes;
  • Combina diversas ferramentas de marketing, ao invés de utilizá-las isoladamente;
  • Analisa quantos relacionamentos a mais a empresa fez, ao invés de quantas vendas;
  • Vê a tecnologia como uma grande ferramenta, fácil de usar, barata e ilimitada, ao invés de achar que é algo extremamente complicado;
  • Utiliza armas de baixo custo ou até gratuitas, ao invés de ferramentas onerosas;
  • Acaba com os paradigmas e medos, ao invés de se apresentar como algo complexo e misterioso



Vantagens:
  • É uma técnica de baixo custo e grande alcance e cobertura;
  • É excelente para maximizar a comunicação e notoriedade de uma marca através da assessoria de imprensa, sem custos associados;
  • Rápida implementação, pois como não existe grande estrutura ou produção, é possível implementar as mesmas em horas ou dias;
  • Favorecimento do word-of-mouth e do índice de memorização;
  • Comunicam as marcas e produtos de maneira "viva", integradas com o dia a dia das pessoas;
  • Permite cobrar os estereótipos da publicidade, dando imensa liberdade aos criativos;
  • É um tipo de marketing onde a agência e o cliente podem arriscar mais, indo mais longe na comunicação com o público alvo;
  • As ações permitem às marcas uma maior interação com o consumidor e, logo, uma maior vivência da marca;
  • O próprio consumidor, num mercado altamente saturado, te tendencialmente maior disponibilidade para este tipo de comunicação.

Desvantagens:
  • Pela ousadia que às vezes trazem, as ações de guerrilha podem virar-se contra o anunciante e a marca e ficar mal vista pelo consumidor;
  • Imprevisibilidades, pois há muito menos possibilidade de controlar quantas e que pessoas terão contato com a sua ação.


Se você tem uma boa ideia, não a deixe escapar e apresente ao seu gestor, amigos, conhecidos ou a agências. Com certeza vão comprar sua ideia e colocá-la em prática.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: